50 anos do tri – Brasil 3 x 2 Romênia

Cumprimentos iniciais entre o trio de arbitragem e os capitães Mircea Lucescu e Carlos Alberto (Imagem: Getty Images)

Seguindo nossa trajetória de matérias sobre a campanha do tri-campeonato da Seleção Brasileira na Copa do Mundo de 1.970, que neste ano completa 50 anos, vamos trazer sobre o terceiro jogo do Brasil no Mundial, contra a Romênia, que aconteceu em 10 de junho de 1.970.

Quando aconteceu o sorteio e o Brasil caiu no Grupo 03, todos usaram a seguinte expressão, “grupo da morte”, que teria Brasil (bicampeão 1958 e 1963), Inglaterra (campeã em 1966), Tchecoslováquia (vice em 1962) e Romênia.

O Brasil fez sua estreia com show em cima da Tchecoslováquia vencendo por 4 a 1 e na segunda rodada no qual este site já trouxe, no qual venceu por 1 a 0 os ingleses. Com as duas vitórias a Seleção Brasileira já tinha a classificação antecipada e enfrentou a Romênia com tranquilidade, embora precisasse vencer para confirmar o primeiro lugar da chave.

A partida entre Brasil e Romênia contou com um público de 50 mil presentes.

Rivellino sentia dores e foi poupado. Paulo Cézar Caju ocupou seu lugar. Infelizmente ele não reeditaria sua grande atuação contra a Inglaterra.

Gérson ainda estava machucado (não havia jogado contra os ingleses) e também foi poupado. Zagallo escalou Fontana para a zaga e deslocou Piazza para sua posição original no meio de campo, avançando Clodoaldo.

Na teoria, o Brasil jogaria mais fechado. Porém, na prática, por incrível que pareça, ficou mais vulnerável.

Pelé começou o jogo com apetite. Aos 19 minutos, o Rei sofreu falta perto da área. Ele mesmo cobrou, com efeito, e acertou o canto direito do goleiro. Foi o segundo gol dele no torneio e o 10º em Copas.

Três minutos depois, Paulo Cézar Caju puxou jogada pela esquerda e cruzou rasteiro. Jairzinho entrou pela defesa romena e se antecipou ao goleiro, desviando para o gol.

Ainda aos 27 minutos do primeiro tempo, o goleiro romeno Stere Adamache se lesionou. Ele se tornou o primeiro goleiro a ser substituído na história das Copas do Mundo. Em seu lugar, entrou Rică Răducanu.

A defesa brasileira se distraiu e a Romênia aproveitou para empatar aos 34′. Dumitru lança para Florea Dumitrache, o craque daquele time. Ele dominou, driblou Brito e chutou por baixo de Félix. Esse gol devolveu a Romênia para o jogo.

Aos 21′ da etapa final, o Brasil teve dois escanteios seguidos. Depois da segunda cobrança, Jairzinho cruzou da direita para a pequena área. Tostão se esticou de forma acrobática para tocar de calcanhar na bola e Pelé entrou de carrinho para marcar seu segundo gol no jogo.

Boa parte do mérito desse gol é de Tostão, que ainda não tinha feito nenhum na Copa, mas já vinha tendo um papel decisivo nas vitórias da Seleção de Zagallo.

Novamente com dois gols de vantagem, o Brasil voltou a diminuir o ritmo, se poupando para o jogo das quartas de final.

A Romênia sentiu que Fontana estava desentrosado no time, foi ao ataque e conseguiu descontar mais uma vez. Aos 38′, o lateral direito Sătmăreanu foi à linha de fundo e cruzou para a área. Emerich Dembrovschi ganhou no alto de Félix e desviou para o gol.

Quando o Brasil estava com a posse de bola no ataque, a torcida mexicana se levantava e a imprensa do mundo todo elogiava a nata do “futebol arte” sul-americano em todo seu potencial. Quando perdia a bola, todos criticavam sua defesa, o estádio inteiro gritava pelo nome de Dumitrache, e a torcida brasileira ficava com o coração na mão.

Nos minutos finais, o Brasil sofreu com o bombardeio aéreo da Romênia (e a insegurança de Félix nas bolas altas), mas já não havia mais tempo.

Fim de jogo: 3 a 2 para o Brasil.

FICHA TÉCNICA:
 
BRASIL 3 x 2 ROMÊNIA
 
Data: 10/06/1970 Horário: 16h00 locais Estádio: Jalisco Público: 50.804 Cidade: Guadalajara (México) Árbitro: Ferdinand Marschall (Áustria)
 
BRASIL (4-3-3): ROMÊNIA
(4-2-4):
1  Félix (G) 21 Stere Adamache (G)
4  Carlos Alberto Torres (C) 2  Lajos Sătmăreanu
2  Brito 4  Mihai Mocanu
15 Fontana 5  Cornel Dinu
16 Everaldo 3  Nicolae Lupescu
3  Wilson Piazza 15 Ion Dumitru
5  Clodoaldo 10 Radu Nunweiller
7  Jairzinho 16 Alexandru Neagu
9  Tostão 7  Emerich Dembrovschi
10 Pelé 9  Florea Dumitrache
18 Paulo Cézar Caju 11 Mircea Lucescu (C)
 
Técnico: Zagallo Técnico:
Angelo Niculescu
 
SUPLENTES:
   
12 Ado (G) 1  Rică Răducanu (G)
22 Leão (G) 22 Gheorghe Gornea (G)
21 Zé Maria 12 Mihai Ivăncescu
14 Baldocchi 6  Dan Coe
17 Joel Camargo 13 Augustin Deleanu
6  Marco Antônio 14 Vasile Gergely
8  Gérson 20 Nicolae Pescaru
11 Rivellino 8  Nicolae Dobrin
13 Roberto 17 Gheorghe Tătaru II
20 Dadá Maravilha 18 Marin Tufanac
19 Edu 19 Flavius Domide
 
GOLS:
19′ Pelé (BRA)
22′ Jairzinho (BRA)
34′ Florea Dumitrache (ROM)
67′ Pelé (BRA)
84′ Emerich Dembrovschi (ROM)
 
CARTÕES AMARELOS:
Mihai Mocanu (ROM)
Ion Dumitru (ROM)
 
SUBSTITUIÇÕES:
27′ Stere Adamache (ROM) ↓
Rică Răducanu (ROM) ↑
 
60′ Everaldo (BRA) ↓
Marco Antônio (BRA) ↑
 
72′ Florea Dumitrache (ROM) ↓
Gheorghe Tătaru II (ROM) ↑
 
74′ Clodoaldo (BRA) ↓
Edu (BRA) ↑

Publicidade

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.