Advogado do XV fala sobre como fica o clube com a paralisação do futebol

Foto: Arquivo pessoal

A pandemia do coronavírus atingiu o esporte no Brasil e no Mundo. Nós do Blog do Vitor Prates e do Programa Resenha Esportiva da Rádio Difusora AM 650, batemos um bate papo com Dr. Ramon Bisson que é Gerente Jurídico e Coordenador de Futebol do XV, especialista em Gestão do Esporte e Direito Desportivo.

O XV de Piracicaba é um dos clubes da Série A2 que desde o último dia 16 de março segue sem atividade, antes da paralisação, o alvinegro é o quinto colocado na classificação geral com 19 pontos. O que vai acontecer daqui para frente, não sabemos, vamos torcer para que o futebol e que tudo voltem ao normal o mais rápido possível.

Resenha: Como o coronavírus está afetando o esporte?

Dr. Ramon: Na realidade o novo coronavírus virou o esporte de cabeça para baixo. Todos os eventos estão paralisados. Pela primeira vez na história as Olimpíadas não acontecerão na data prevista. Trata-se de uma medida tomada visando a preservação da saúde da população, o que é plenamente justificável.

Resenha: Com os campeonatos paralisados e os clubes sem rendas, como fica a situação com o profut?

Dr. Ramon: Existe um movimento bastante forte para a dispensa de cumprimento das obrigações de pagamento dos parcelamentos criados pela “Lei do PROFUT”. A APFUT, órgão responsável pela fiscalização do cumprimento das obrigações por parte dos clubes, já solicitou ao Governo Federal a suspensão temporária das parcelas. Os clubes ainda aguardam uma definição se deverão pagar ou não as parcelas deste mês.

Resenha: Como ficam os times que têm jogadores em fim de contrato na pausa do futebol?

Dr. Ramon: Este será um dos grandes desafios para os clubes. A questão, de início, depende da remodelação do calendário do futebol no país. Apenas com o desfecho de como cada campeonato continuará é que os clubes terão ciência e poderão propor as renovações de contratos aos seus atletas.

Resenha: Acreditas em mudança de calendário do futebol brasileiro?

Dr. Ramon: Para o ano de 2020 com toda certeza. Considerando a paralisação já ocorrida, não será viável a manutenção do calendário na forma proposta inicialmente. Acredito que o mais adequado seria a mudança na fórmula do Campeonato Brasileiro, permitindo a finalização dos campeonatos estaduais em um primeiro momento.

Já para os próximos anos, esta é uma grande oportunidade para que todas as partes possam discutir melhorias no calendário do futebol do país, no qual são “privilegiados” pouco mais de 100 clubes em detrimento de outros mais de 700 existentes no país.

Publicidade

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.