Categorias de formação do XV fecham ano em grande momento

Foto Crédito: Vitor Prates

As equipes de formação do XV de Piracicaba neste ano de 2018, fizeram coisas que a muito tempo não se via pelos lados do Barão da Serra Negra. Depois de nove anos as três categorias (sub-15, sub-17 e sub-20), chegaram juntas a terceira fase de um dos campeonato mais complicados do Brasil, que é Paulista.

Mas o ano ainda não terminou para o sub-14, comandado por Rafael Vinícius, que disputando a Copa Piracicaba de Futebol de base, que é organizado pela Liga Piracicabana de Futebol.

O XV de Piracicaba, está bem na competição, em quatro jogos, venceu três e perdeu uma partida.

Outro fator a destacar é que 12 jogadores que são ligados ao XV de Piracicaba, estão espalhados por diversos clubes do futebol brasileiro, mostrando assim como é feito o trabalho das categorias de formação do alvinegro, chamando a atenção de times como: Palmeiras, Corinthians, Cruzeiro, Grêmio, Atlético-MG, América-MG e Ponte Preta. Além do do lateral-esquerdo Rubens, 20 anos, emprestado ao Red Bull até o dia 5 de dezembro deste ano.

“A evolução é consequência de uma filosofia adotada pelo grupo de trabalho nos últimos anos. Para nós, é uma satisfação enorme vermos as três categorias conquistando grandes resultados, classificações e enfrentando adversários, que contam com um investimento muito maior que o nosso, de igual para igual. Não à toa, ao fazermos os acordos, estreitamos os laços com grandes clubes brasileiros”, disse o diretor das categorias de formação, Matheus Bonassi Semmler.

O técnico Denis Augusto celebra o feito inédito de ter colocado o Sub-17 quinzista na terceira fase do estadual. “Nosso ano foi muito bom. Disputamos um torneio de preparação (organizado pelo Desportivo Brasil e realizado em Porto Feliz) com três fortes equipes (Ituano e Red Bull, além dos donos da casa) e ficamos na segunda posição. Após isso, fizemos uma excelente campanha no Paulista, levando o clube à uma etapa que nunca havia chegado e fazendo jogos equilibrados com grandes times. Acredito, inclusive, que poderíamos ter ido às quartas de final, porém fiquei feliz com o que fizemos em 2018”, analisou.

Xandão assumiu o Sub-20 do Nhô Quim na terceira rodada do certame e obteve alguns feitos. “Cheguei em um instante conturbado, quando os resultados não estavam aparecendo, e minha primeira ação foi mostrar aos garotos que éramos capazes de chegar longe. Alternamos altos e baixos na primeira fase e após a partida que tivemos contra a Ferroviária, em Araraquara (vitória do adversário por 5 a 4), os jogadores começaram a acreditar e buscar as vitórias, o que culminou em nossa classificação”, lembrou o treinador, que seguiu avaliando a campanha.

“Na segunda fase, tivemos boas atuações e novamente avançamos. Na etapa seguinte, repetimos alguns erros e isso custou nossa sequência no torneio. De um modo geral, essa disputa foi bastante produtiva, ainda mais porque priorizamos a montagem do elenco visando a Copa São Paulo Júnior de 2019, não utilizando atletas que não poderão atuar neste campeonato no ano que vem. Formamos um coletivo forte e vamos evoluir ainda mais até lá. Acredito que, ao menos, cinco ou seis jogadores podem subir ao profissional depois disso”, concluiu.

Comandante da categoria inicial da base do XV, Rafael Vinícius ainda treina o Sub-14 até o fim do ano, mas já considera 2018 um bom ano. “O saldo final foi muito positivo, porque conseguimos alinhar a formação do atleta com o resultado dentro de campo. Nós atingimos um número satisfatório de jogadores que fizeram a transição de categoria e ainda houveram outros que foram para clubes tradicionais do Brasil”, comentou, antes de prosseguir.

“Há também os que avaliamos positivamente e seguem conosco. Fizemos uma primeira fase muita sólida no Campeonato Paulista, se mantendo do início ao fim entre os dois primeiros colocados, o que, para nós e para o clube, é muito bom. Em seguida, enfrentamos duas equipes que hoje estão nas quartas de final (Audax e Novorizontino) e conseguimos fazer boas partidas, mesmo com um elenco com pouca ou nenhuma experiência em competições desse porte”, falou.

Confira os atletas, ainda ligados ao XV de Piracicaba, que se transferiram nos últimos anos:

Em parceria (atletas que ainda não possuíam ou possuem contrato profissional e os quais o XV tem uma porcentagem dos direitos econômicos futuros)

Eduardo (atacante, 2004) – definindo com o América-MG
Bruno Fares (atacante, 2003) – Cruzeiro
Gabriel Fernando (goleiro, 2002) – Ponte Preta
Mateus Oliveira (goleiro, 2002), Kaique Ferraz (zagueiro, 2001) e Pedro (goleiro, 2001) – Palmeiras
Felipe (atacante, 1999) e Luís Eduardo (atacante, 2001) – Atlético-MG

Emprestados (atletas que já possuem contratos profissionais e um valor de compra estipulado para uma porcentagem dos direitos econômicos)

Carlos Eduardo (zagueiro, 2001) e Grígor Fernandes (volante, 2001) – Corinthians
Kaio Ellyson (zagueiro, 2000) – Palmeiras
Guilherme (zagueiro, 2000) – Grêmio

Publicidade

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.