Esporte não para na pandemia!

Apesar da crise sanitária sem precedentes no mundo, o esporte piracicabano tem feito a sua parte e segue na ativa, com aulas remotas, lives, videoconferências, treinos monitorados e muita força de vontade de treinadores e atletas. Isso é muito bom, porque o esporte nos livra do estresse, da depressão, do desânimo, da solidão e traz a esperança de que tudo voltará à normalidade em breve. Nesta coluna, eu compartilho com vocês, por meio dos projetos do taewkondo, do judô e do handebol, um pouco do que vem sendo feito por esses abnegados do esporte!

O Projeto de Taekwondo “Em Busca de Campeões”, do mestre e amigo Frederico Mitooka, vem fazendo um trabalho magnífico nesta pandemia. Os treinos estão acontecendo online, com exercícios físicos específicos da modalidade. No momento, Fred e sua equipe estão atendendo cerca de 50 pessoas cadastradas. As sessões de treinamentos acontecem às segundas e às quarta-feiras, às 18h30, e às terças e quintas-feitas, às 19h30.

Já nas sextas-feiras, às 19h, é realizado um treino específico para correção técnica de cada faixa. Segundo Fred, para o treino online é destinado um professor para executar a técnica, um professor para corrigir os alunos e um professor que atua como moderador enviando links, videos, e gerindo as salas virtuais. Um trabalho de excelência em meio à distância social.

Já os atletas de alto rendimento de taekwondo de nossa cidade seguem, neste momento de pandemira, realizando treinamento em suas casas. Eles recebem vídeos de treino e enviam de volta seus trabalhos para que possam receber o feedback na equipe técnica. “Sobre os eventos, seguimos participando de competições virtuais, homologadas pelas federações”, declarou Fred. Para conhecer mais o “Em Busca de Campeões” basta dar uma olhada  na fanpage do projeto: www.facebook.com/piracicabatkd

O judô de Piracicaba também tem superado as dificuldades da pandemia com as atvidades remotas. O professor Edinho, que comanda as equipes de alto rendimento de Piracicaba, tanto no masculino como no feminino, vem realizando lives para manter o contato com os alunos. Edinho, que também atua no trabalho de base com as equipes de judô, envia aulas gravadas, via grupo de whatsapp e os atletas retornam os trabalhos por meio de fotos ou pequenos vídeos.

Edinho disse que a Confederação Brasileira de Judô e a Federação Paulista de Judô enviaram um comunicado cancelando todas as competições que estavam agendadas para os meses de agosto e setembro, enquanto aguardam uma posição das autoridades, como OMS (Organização Mundial da Saúde) e Governo do Estado, sobre o calendário de provas. “Eu, particularmente, acredito que não vai haver mais provas neste ano, mas a gente fica no aguardo das resoluções”, contou Edinho.

Já o Projeto de Handebol de Piracicaba, comandado pelo professor José Batista, também se reinventou e vem realizando encontros de forma digital todas as segundas, quartas e sextas, das 19h até as 21h. “Nestes encontros estamos procurando transmitir conhecimentos teóricos sobre a modalidade handebol, assim como também abordando outros temas sobre as partes psicológicas e de condicionamento físico”, disse Batista. “Sabemos que os alunos preferem muito mais a prática diária, mas sabemos que neste momento é de suma importância que as coisas sejam realizadas de forma diferente”.

“Nos sentimos na responsabilidade de não os abandonar (os alunos e atletas) neste momento tão complicado, e mesmo passando por muitas dificuldades estamos tentando fazer o melhor possível, assim como sempre fizemos, pois sabemos que nem todos serão atletas profissionais, mas que todas estas experiências os tornem mais fortes e sábios para superar outras dificuldades que a vida com certeza irá colocar”, segue Batista. “Sempre digo que precisamos fazer valer a pena todas as nossas atividades, pois todas estão de uma forma ou de outra, nos ajudando a nos tornarmos melhores e mais conscientes ao longo da caminhada da vida.”

Desde o fim do março, assim que foram paralisadas as atividades presenciais, o handebol piracicabano desenvolveu um protocolo de condicionamento físico para ser feito em casa, com três níveis de dificuldade, visando atender todas as idades e condições físicas dos alunos envolvidos com o projeto. Com o início das aulas online, os alunos passaram a enviar vídeos ou fotos das atividades para monitoramento da equipe técnica. Lembrando que todas as competições estão paralisadas no handebol e no momento não há previsão de retorno, segundo o Governo do Estado de São Paulo.

Colunista – Alexandre Nascimento – Chefe do Setor de Eventos da Selam (Secretaria de Esportes, Lazer e Atividades Motoras)

Publicidade

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.