Há 25 anos o Brasil era Tetra Campeão

No dia 17 de julho de 1.994, o Brasil comemorava o Tetra Campeonato nos Estados Unidos, é o tempo passou né. E como passou.

Na ocasião a Copa do Mundo teve 24 participantes e foi realizada de 17 de junho a 17 de julho, foram 52 partidas, 141 gols marcados, uma média de 2,71 por jogo.

Na primeira fase o Brasil esteve no grupo B ao lado de Suécia, Rússia e Camarões.

A estreia da Seleção foi contra a Rússia e vitória brasileira por 2 a 0, gols de Romário e Raí em cobrança de pênalti.

No segundo jogo, o adversário foi Camarões e o Brasil não teve dificuldades e venceu por 3 a 0. Gols de Romário, Márcio Santos e Bebeto.

No encerramento da primeira fase, um jogo duro e complicado contra a Seleção da Suécia e empate de 1 a 1. Gol brasileiro marcado por Romário.

Oitavas de Final:

O duelo desta fase, foi contra os donos da casa, os Estados Unidos, no dia da Independência Norte Americana, no dia 04 de julho e o Brasil venceu chorado com gol de Bebeto.

Quartas de final:

Uma verdadeira pedreira pela frente a Seleção da Holanda, jogo espetacular, cinco gols em jogo. O Brasil saiu na frente, dois a zero, gols de Romário e Bebeto. A Holanda empatou em 2 a 2 com Bergkamp e Winter. Quando parecia que iriamos para a prorrogação, veio a cobrança fantástica de Branco. Brasil 3 a 2 e vaga para a semifinal.

De um lado Brasil e Suécia, reencontro da primeira fase. Na outra semifinal, Itália e a Bulgária.

Brasil venceu 1 a 0. Gol de Romário. E chegava a uma final de Copa do Mundo, depois de 24 anos, a última tinha sido em 1970 e o adversário se repetia a Itália.

Final:

A final entre Brasil e Itália no dia 17 de julho, entrou para a história por dois motivos: primeiro, pelo fato de juntar frente a frente duas das três únicas seleções que haviam conquistado três edições de Copa do Mundo, portanto, uma delas acabaria se sagrando tetracampeã, ultrapassando a rival; segundo, porque foi a primeira vez em que a final de uma Copa do Mundo seria decidida na cobrança de tiros livres da marca de pênalti. O jogo terminou em 0 a 0 no tempo normal e na prorrogação.

A vitória do Brasil veio após três erros italianos: uma defesa do goleiro Taffarel, em chute de Daniele Massaro, e mais dois chutes para fora dos craques italianos Roberto Baggio e Franco Baresi. Márcio Santos havia errado também sua cobrança, não sendo necessário ao Brasil efetuar todas as cobranças a que tinha direito.

Publicidade

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.