José Batista, coordenador e técnico conta sobre o Handebol Futuro de Piracicaba

Foto Crédito: Vitor Prates

Na nossa série de entrevistas, conversamos com José Batista que é Coordenador e Técnico do “PROJETO HANDEBOL FUTURO PIRACICABA”, no qual falou um pouco sobre sua equipe, a paralisação nos campeonatos devido à pandemia do novo coronavírus, entre outros assuntos.

Resenha – Falar um pouco da ADH e também da equipe para 2020?

José Batista – A ADH é uma entidade que vem trabalhando o Handebol em Piracicaba desde sua fundação em 2007, a entidade preza pela boa formação do cidadão através do esporte atendendo principalmente crianças e adolescentes de diferentes classes sociais, priorizando uma formação global dos envolvidos. A ADH neste momento está desenvolvendo juntamente com a Secretaria de Esportes de Piracicaba (SELAM), o “Projeto Handebol Futuro”, ensinando o esporte desde a iniciação, até o rendimento, formando equipes de competição nas mais variadas categorias e de diferentes faixas etárias. Nossas equipes em 2020 estão bem organizadas e se preparando físico, técnico e taticamente para os campeonatos que neste momento, não sabemos mais se irão acontecer, devido à paralizações. Temos cerca de 18 atletas por categoria, compondo 05 categorias cada naipe (masculino e feminino) e mais 04 polos de iniciação esportiva (Prezotto, Paulicéia, Jaraguá, Santa Rosa).

Resenha – O que pode atrapalhar o cronograma da equipe para a sequência da temporada esta paralização e como orienta os atletas na parte física?

José Batista – Esta paralização está sendo muito ruim em vários sentidos, pois, a aprendizagem dos atletas se torna mais difícil sem as atividades práticas, assim como atletas que já possuem experiência, também não conseguem aperfeiçoar suas ações, pelo mesmo motivo a falta da prática. Para amenizar os impactos desta paralização, os professores e o coordenador do Projeto Handebol Futuro, estão elaborando via digital, protocolos de treinamento físico para que os atletas possam se manter bem fisicamente e elaborando também protocolos teóricos de treinamento para melhorar o conhecimento da modalidade e suas especificidades nas ações de jogo, na tentativa de manter o alunos focados na aprendizagem da modalidade e as situações de jogo.

Resenha – Quais campeonatos vão disputar na temporada?

José Batista – Nesta temporada pretendemos disputar os seguintes campeonatos: LHESP – Liga de Handebol do Estado de São Paulo em 06 categorias (03 masculino – Adulto, Júnior e Cadete) e (03 feminino – Juvenil, Cadete e Infantil). ARH – Associação Regional de Handebol em 06 categorias (04 masculino – Iniciação, Pré Mirim, Mirim e Infantil) e (04 feminino – Iniciação, Pré Mirim, Mirim e Infantil Competições da Secretaria de Esportes do Estado de São Paulo: Jogos Regionais, Jogos Abertos, Joguinhos da Juventude e Copa São Paulo de Handebol).

Resenha – Fale do Elenco?

José Batista – O elenco nas categorias de base, é composto por atletas do Município de Piracicaba que estão iniciando e tendo os primeiros contatos com competições e nas categorias principais, com atletas mais experientes, também do Município, que já praticam a modalidade e alguns convidados da região, que em outras épocas já jogaram aqui.

Resenha – Como que vê hoje o Handebol no Brasil e no Mundo?

José Batista – No Mundo Handebol esta cada vez mais ganhando espaço e conquistando as pessoas pela sua dinâmica e competitividade e a cada ano que se passa o Handebol vem crescendo técnica e taticamente em vários países que antes não tinham tanta força em competições interacionais e hoje já começam a aparecer com mais potencial, haja a ver a derrota do Brasil para o Chile no ultimo Panamericano em Lima no Peru, onde podemos observar uma evolução muito grande das equipes que participaram da competição, tanto no masculino quanto no feminino.

No Brasil o Handebol tem sido uma ponte para os atletas conseguirem vagas em equipes do exterior, como, França, Espanha, Portugal, Itália, Romênia, e outros, muitos atletas estão saindo hoje do Brasil para jogar nestas equipes e com isso o nível competitivo do Handebol Brasileiro esta caindo e a dificuldade para montar equipes, esta cada vez maior, pois não há investimentos no Handebol aqui dentro permitindo a saida de jogadores pra fora.

Os atletas estão saindo dos projetos e das equipes municipais cada vez mais jovens, buscando equipes com o mais estrutura que possam oferecer a elas condições melhores para tentar o exterior.

Publicidade

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.