Motive-se!!!

O começo do isolamento foi muito introspectivo para mim, não tinha vontade de fazer nada. Não interagir não fazia falta alguma, já me bastavam filho e marido por perto.

Ficar preso em casa é difícil para qualquer um, mas como corredora, não poder estar nas ruas é bem penoso.

Duas semanas depois, já adaptada entre o home office e a rotina doméstica, comecei a pensar em mudanças para o agora e para o futuro.

Iniciei os treinos de fortalecimento por meio de lives de educadores físicos confiáveis, também passei a praticar yoga, desejo antigo.

Fiquei 35 dias sem correr, fazendo apenas caminhadas rápidas com minha cachorrinha Frida e o meu marido. Aos poucos, as informações de que as atividades ao ar livre não traziam risco de contágio foram ficando mais claras e então decidi sair para corridas breves e em horários e locais menos movimentados.

O convite irrecusável para participar de uma ação filantrópica veio em seguida. Seriam 24 horas de corrida na esteira, divididos entre oito atletas. Claro que me senti insegura, nunca havia corrida mais do que cinco minutos na esteira, daí para três horas seria um grande passo.

O evento foi organizado pela Care Club de Piracicaba (para saber mais acesse @careclub.piracicaba). Já conheço o pessoal de lá e também a maioria dos atletas envolvidos, ou seja, estaria entre amigos e com objetivo muito importante, arrecadar fundos e alimentos para instituições da cidade, tudo muito motivador. O chamado “Longão do Bem” foi um sucesso, me deixou muito feliz e com vontade de correr mais, fazer mais.

Iniciei a quarentena desmotivada e desanimada diante de tantas incertezas, mas me motivei e consegui estabelecer uma rotina diária, sem abrir mão de um tempo para o ócio, afinal quem não gosta de “maratonar” séries e ver bons filmes?

É preciso motivação e otimismo para aliar trabalho, atividade física e afazeres domésticos, tudo sem sair de casa.

Digo mais, esta motivação só pode vir de nós mesmos, fatores externos podem nos estimular ou não, mas o sentimento, a chama, vem de dentro.

Aproveitemos o isolamento para aprimorar nosso olhar interno. Cuidar melhor de nós mesmos implica também em estar mais presentes para as demandas ao nosso redor. A oportunidade de melhoria e motivação pode estar ao lado, bem perto.

Estela Vaz
Ultramaratonista amadora
2019 – finisher Badwater 135 – EUA
2019 – finisher BR 135 – Brasil
2018, 2017, 2016 – finisher UAI Ultramaratona dos Anjos Internacional – Brasil
Contato: estela-vaz@hotmail.com
instagram @vaz.estela

Publicidade

4 Comentários

  1. Perfeito, resignificar e dar importância ao que temos é essencial pra saúde mental. E ações voluntárias fazem muito bem ao coração de quem doa e de quem recebe.

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.