Piracicaba retrocede!

Foto Crédito: ACIPI

Esta semana fomos pegos com a triste notícia: a de que Piracicaba retrocede e cai para a Fase Vermelha durante a quarentena! Isso significa que voltamos à fase onde se restringe mais ainda o fluxo de pessoas, comércios e demais locais com um funcionamento controlado.

Há tempos estamos unidos na esperança de que a população seja consciente e siga as regras do isolamento social tão necessário para que os índices do Covid-19 caiam e que possamos todos juntos voltar à vida normal.

Há semanas estamos “travando” uma batalha para que academias esportivas pudessem retornar ao funcionamento, visto que como todos já sabemos o ESPORTE gera SAÚDE, aumenta a imunidade, o que no momento é o que mais precisamos. Pois bem, isso tudo de nada adianta se a população não colaborar no sentido de não sair de casa sem necessidade.

Há tempos venho acompanhando o movimento e noto que vários comércios – e aqui abro um parêntese “não generalizo” – vêm sem medidas quaisquer e de forma imprudente abrindo suas portas de forma irregular.

A doença existe, não é brincadeira, só quem já passou por isso ou teve um familiar infectado sabe da gravidade. Devemos nos conscientizar de que se o isolamento social não for cumprido à risca tudo isto vai demorar mais para acabar!

Lógico que devemos levar em conta as questões da economia, muitos já perderam seus empregos, fecharam as portas de seus comércios, demitiram pais e mães de família, mas o que fazer neste momento tão delicado então?!? Alguém tem a formula mágica?

Estamos em uma GUERRA, e como tal teremos muitas baixas infelizmente, seja pela infecção do vírus ou pela quebra dos CNPJs. Mas tudo isso é muito novo e ainda não encontramos uma formula mágica para passarmos por tudo. O momento requer uma reflexão!

Quando o Prefeito Barjas anunciou a abertura do comércio e shopping, o que vimos foi uma corrida desenfreada da população no geral para “desestressar” do confinamento ou isolamento. O que vimos?! Foi a (rua) Governador cheia, filas de carros para acessarem o shopping, como se tudo já estivesse voltado ao normal.

Sofremos com nossos próprio erros e nesta sexta feira (26) a Prefeitura foi obrigada a editar o decreto 18.337 que voltou a determinar o fechamento a partir da última segunda feira (29) até o dia 14 de julho de tudo o que não é essencial (comércio, shoppings, barbearias, bares, etc).

Espero que a população entenda que neste momento, por mais difícil que seja, só sairemos deste estado se respeitarmos o isolamento social, penalizados pela economia que esta sofrendo tanto com os efeitos deste sacrifício.

Colunista – Alexandre Nascimento – Chefe do Setor de Eventos da Selam (Secretaria de Esportes, Lazer e Atividades Motoras)

Publicidade

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.