XV de Piracicaba 105 anos

Tudo começou em 1910 na pérola Paulista, quando duas tradicionais famílias Piracicabanas, Pousa e Guerrini, que administravam o futebol amador da cidade de Piracicaba, se reuniram em 11 de outubro de 1913, como publicado em jornal da época. Foi nessa reunião que começou a história do Glorioso, porém como não existem livros e nem atas que registrem realmente a data em que ocorreu a primeira reunião, essa polêmica existe até os dias de hoje.

Além disso, na época aconteceram dois incêndios que destruíram a sede do XV que ficava no cruzamento entre as ruas XV de Novembro e Alferes José Caetano e a outra sede da rua Regente Feijó. Devido aos incêndios, não há documentos comprobatórios da data exata de fundação do Esporte Clube XV de Novembro de Piracicaba .

Existia também uma divergência em relação à fundação do clube. Os jornais locais (A Gazeta e O jornal) no dia 11 de outubro de 1913, um sábado, publicaram a seguinte nota ” FOOT BAL, se inaugura um novo clube na cidade, intitulado de 15 de Novembro”. Depois disso, os jornais silenciaram-se a respeito do XV, voltando a registrar suas atividades somente no seu primeiro confronto.

Como as duas famílias eram muito amigas, resolveram então se juntar e montar um único clube na cidade, foi então que chamaram o Cirurgião dentista e Capitão da Guarda Nacional Carlos Wingeter (foto) para ser o primeiro presidente que deu o nome de XV de Novembro, em homenagem à Proclamação da República

O XV é conhecido em todo o Brasil como a primeira equipe a conquistar a Lei do Acesso do Futebol Paulista e em 1947 o alvinegro fez 26 jogos conquistando 15 vitórias, 08 empates e apenas 03 derrotas.

Foram marcados 65 gols e 33 sofridos, um total de 67,94%.

A inesquecível conquista do título de 1948, foi contra o Clube Atlético Linense, em três partidas disputadas a primeira aconteceu no dia 19 de dezembro de 1948 na cidade de Lins, com vitória do time da casa por 1 a 0.

Na segunda partida no dia 09 de janeiro de 1949 em Piracicaba o XV devolveu a derrota e venceu a Linense por 2 a 1.

A decisiva partida daquele ano que era o Campeonato do Acesso, equivalente ao Campeonato Paulista da Série A2 nos dias de hoje, partida foi realizada no estádio do Parque Antártica na cidade de São Paulo, que teve o recorde batido de renda numa segunda divisão estadual.

O XV goleou o time de Lins por cinco a um, foi uma partida equilibrada, com muita cautela do time Piracicabano.

O primeiro tempo terminou sem nenhuma equipe balançar as redes. Mas para isso se tem um artilheiro e logo aos 4 minutos da segunda etapa Gatão tratou de tirar o zero do placar. A porteira abriu aos 9 minutos com Rabeca e De Maria aos 22 minutos decretando a goleada.

A equipe da Linense diminuiu com Moreno aos 28 minutos, dando esperança ao Elefante. Mas para a torcida Piracicabana o gol sofrido não diminuiu e aos 34 minutos, Rabeca fez o quarto do do alvinegro. Gatão aos 36 minutos fez o segundo dele e a goleada estava decretada na cidade de São Paulo. Fim de jogo XV de Piracicaba 5 x 1 Linense. O XV se tornaria o “Pioneiro da Lei do Acesso”.

Final

XV de Piracicaba 5 x 1 Linense

Local: Parque Antártica – São Paulo

Juiz: João Gambeta

Renda: Cr$ 110,635,00 (batido o recorde de renda da segunda divisão, novamente)

Gols: Gatão (XV), aos 4′ e 36′, Rabeca (XV), aos 9′ e 34′, De Maria (XV), aos 22′ e Moreno (Linense), aos 28′, todos do segundo tempo.

XV de Piracicaba: Ari, Elias e Idiarte; Cardoso, Strauss e Adolfinho; De Maria, Sato, Picolino, Gatão e Rabeca. Técnico: Eugênio Vanni.

Linense: Leopoldo, Noca e Jair I; Gatinho, Braz e Mário; Demais, Moreno, Carabina, Jair II e Carmelo.

1976

Campanha memorável do Esporte Clube XV de Novembro onde não podemos deixar para trás o vice-Campeonato Paulista do ano de 1976, quando o Nhô Quim foi derrotado na decisão para o Palmeiras por 1 a 0 no Estádio Palestra Itália no dia 18 de agosto de 1976.

O Paulista daquele ano tinha 18 clubes, divididos em 3 grupos. Os quatro primeiros de cada chave avançavam para a fase final e o melhor entre todas as equipes levava um ponto extra.

O interior de São Paulo, dominava o Campeonato, com XV de Piracicaba, América de Rio Preto e Guarani, na luta pelo título.

Para não deixar os adversários comemorarem o título, o XV precisava vencer seus 2 últimos jogos, e o Palmeiras não podia pontuar. No final tudo deu certo para o Nhô Quim, o América não passou de um empate com a Ponte Preta e foi eliminado.

Na decisão, o Palmeiras venceu o XV por 1 a 0 conquistando o Paulista. Foi o último título de Ademir da Guia no Verdão.

FICHA TÉCNICA DA DECISÃO

PALMEIRAS-SP 1 x 0 XV DE PIRACICABA – CAMPEONATO PAULISTA

18/08/1976

Estádio Palestra Itália – Parque Antártica – São Paulo / SP – Brasil – Público: 40.283 pagantes e não pagantes – Renda: Cr$ 777.915,00

Árbitro: Romualdo Arppi Filho (SP)

Palmeiras (São Paulo/SP): Leão, Valdir, Samuel, Arouca, Ricardo, Pires, Ademir da Guia, Edu, Jorge Mendonça, Toninho, Nei – Técnico: Dudu

XV de Novembro (Piracicaba/SP): Doná, Volmil, Fernando, Elói, Almeida, Muri, Vágner, Pitanga, Nardela (Capitão), Benê (Paulinho), João Paulo – Técnico: Dema

Gol: Jorge Mendonça (Palmeiras), 39 min primeiro tempo

1995:

Campeonato Brasileiro da Série C do ano de 1.995, competição que todo Quinzista se lembra, da forma que foi conquista, dos jogadores que vestiram naquele ano a camisa zebrada e a respeitava.

Foi uma competição 107 participantes, 384 jogos, 867 gol, média de 2,26 por partida e o XV terminou Campeão com uma campanha perfeita para um time do interior de São Paulo.

Campanha do XV de Piracicaba, 16 jogos, 30 pontos ganhos, 09 vitórias, 03 empates e 4 derrotas, foram marcados 19 gols, sofrido 7 um saldo de 12. O artilheiro da competição foi de Serginho do XV com seis gols.

Em 2013 passaram 18 anos desta maravilhosa conquista.

Na primeira fase o grupo do XV era composto, por Paulista (SP), Democrata (MG).

Na fase seguinte o confronto do XV foi contra a Inter de Limeira; dois jogos, um em Piracicaba com vitória do Nhô Quim por 1 a 0. No segundo jogo empate em Limeira em zero a zero.

Na terceira fase o XV encarou por duas oportunidade o Barra de Teresópolis do Rio de Janeiro. O primeiro jogo ficou em 4 a 0 para o time piracicabano no jogo da volta no Barão da Serra Negra, mais uma vitória por 1 a 0 do XV.

Na quarta fase o adversário da vez foi o Brasil de Pelotas. O primeiro jogo aconteceu no Rio Grande do Sul que terminou empatada em 1 a 1. No segundo jogo, em Piracicaba, o XV mostrou sua força e venceu por 2 a 0.

Pelas quartas de final, o Nhô Quim encarou o Joinville. O primeiro duelo foi em Santa Catarina com vitória de 1 a 0 do time da casa.

No Barão, e empurrado pela sua torcida, o alvinegro devolveu o resultado do primeiro jogo levando a partida para a decisão por pênaltis, vencido pelo XV por 4 a 2.

Com a proximidade da decisão, o XV encarou o Gama no Barão da Serra Negra, vencendo por 2 a 0. No Distrito Federal perdeu por 1 a 0, mas mesmo assim garantiu a vaga para a decisão e o acesso para Série B do Campeonato Brasileiro.

Na final o adversário foi o Volta Redonda e no Barão. O XV não tomou conhecimento e venceu por 2 a 0. Na segunda partida no Raulino de Oliveira, no Rio de Janeiro, Biluca fez o gol do título para o Esporte Clube XV de Novembro de Piracicaba.

FICHA TÉCNICA DA FINAL:

Local: Estádio Raulino de Oliveira, em Volta Redonda-RJ

Árbitro: Lincoln Borjaille Bicalho
Data: 10/12/1995
Público: 1.449 pagantes
Gol: Biluca 41’/1T (XV de Piracicaba)

Volta Redonda: Sandro; Vicente, Denimar, Fábio e Gilvan; Ari (Dão), Eduardo Carioca (Magrão), Ricardo e Valtinho; Eduardo Araújo e Marcelo (Todinho). Técnico: Wilton Araújo

XV de Piracicaba: Mica; Ferreira, Biluca, Luiz Fernando e Cléber Lima; Tito, Serginho (Silvinho), Almir e Cléber Gaúcho (Tuta); Alemão (Leives) e Ivanildo. Técnico: Osvaldo Alvarez (Vadão)

O XV de Piracicaba tem cinco títulos da Série A2 do Campeonato Paulista, 1947, 1948, 1967, 1983 e 2011.

Campeonato Paulista A1 – 46 participações
Campeonato Paulista A2 – 16 participações
Campeonato Paulista A3 – 09 participações
Campeonato Brasileiro Série A – 03 participações
Campeonato Brasileiro Série B – 12 participações
Campeonato Brasileiro Série C – 03 participações
Campeonato Brasileiro Série D – 01 participação
Copa do Brasil – 01 participação
Copa Paulista – 16 participações

Publicidade

Be the first to comment

Leave a Reply

Seu e-mail não será publicado.


*


This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.