XV encerra sua participação na Série A2, com 52,63% de aproveitamento

Foto Crédito: Claudinho Coradini

A dor de uma eliminação. No jogo de sábado, 20 de abril, poderia ter sido outra festa maravilhosa organizada por sua torcida que desde o início do ano vem esperando para ser concretizada. Adiamos para mais um ano.

O maior público da Série A2 de 2018, 14.699 e possivelmente a maior renda R$ 239.555,00. Tudo começou em 2018, logo após as eleições, com Arnaldo Bortoletto e Matheus Bonassi assumindo a condição de presidente e vice do Esporte Clube XV de Novembro de Piracicaba. Neste instante começou a montagem do elenco, quando anunciou o treinador Tarcísio Pugliese, seu auxiliar Ivo Secchi e demais componentes de sua comissão técnica como Rildo Dionísio preparado físico e Cristiano Cavalcanti preparador de goleiros. Ao longo foram chegando os jogadores, e sem pré-temporada o elenco foi se formando, com a estréia em 19 de janeiro, clássico regional diante da Internacional, na cidade de Limeira e a vitória por 3 a 2.

Ao longo o campeonato quebramos recordes, como quatro jogos invictos, coisa que não acontecia pelos lados da Rua Silva Jardim, desde 1.981. Classificamos com três rodadas de antecedência. Não tivemos uma boa seqüência, em quatro jogos, três derrotas e um empate e a equipe encerrou a primeira fase na quinta colocação.

Na segunda fase encaramos umas das melhores equipes desta Série A2, o Juventus, da Mooca. Dois jogos, uma vitória em Piracicaba por 1 a 0 e um empate de 1 a 1, sofrido na cidade de São Paulo, no tradicional campo da Rua Javari, com mais de 4 mil torcedores. Como sempre nossos torcedores como sempre compareceram em grande estilo e fazendo a festa. Um detalhe temos que lembrar, que no decorrer do jogo o Moleque Travesso, teve um pênalti, quando estava um a zero para eles. Ai veio o monstro Luis Fernando e seu pé, no que nos salvou do que seria uma eliminação. Avançamos.

Nas semifinais novo encontro com a Inter de Limeira, primeiro jogo na casa do adversário e o torcedor quinzista esteve presente segundo o borderô da FPF (Federação Paulista de Futebol), 881. Empate sem gol zero a zero, fora um gol péssimo anulado pelo bandeirinha, no qual poderia mudar a história do jogo.

Partida de volta em Piracicaba, festa na sexta feira, Santa, mais e 300 torcedores compareceram no treino aberto. Jogo sábado, 20 de abril, 14.699 pagantes, uma festa linda, XV sai na frente com gol em cobrança de falta de Gilberto Alemão. A Inter empatou na seqüência. O Nhô Quim voltou a ficar na frente com Kadu Barone. Quando tudo se encaminhava para o acesso, um balde de água fria. Gol da Inter, 2 a 2. Decisão foi para os pênaltis.

Como sempre digo e vou falar novamente, penalidades máximas é competência e não sorte. A Inter teve melhor aproveitamento e está na A1. O que nos resta é remar novamente, erguer a cabeça pois o trabalho deve começar coma cabeça erguida. Não adianta achar A ou B, pela eliminação. O XV é gigante, vamos dar a volta por cima. Temos um segundo semestre para ser disputado e uma competição que já conquistamos em 2016, podemos repetir o feito.

Na Série A2 de 2019, o XV de Piracicaba terminou no geral na quarta colocação, com 30 pontos ganhos, fez 19 jogos, com oito vitórias, seis empates e cinco derrotas, marcou 25 gols e sofreu 20, um saldo positivo de cinco. Um aproveitamento de 52,63%

O artilheiro da equipe na competição foi Ronaldo com seis gols, seguido de Ítalo com cinco e Gilberto Alemão com quatro.

Publicidade

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.