XV se reapresentou visando ao duelo diante do São Bento

Foto Crédito: Evandro Pelligrinotti/XV de Piracicaba

Depois da derrota para o São Caetano, no Anacletto Campanella no ABC, o elenco do XV de Piracicaba se reapresentou na tarde desta quinta-feira, 30 de janeiro, no Estádio Municipal Barão da Serra Negra, visando o próximo compromisso no Campeonato Paulista Série A2, diante do São Bento, no sábado, 1, às 19h.

Os atletas que atuaram por mais de 45 minutos na noite da última quarta-feira, no estádio Anacleto Campanella, em São Caetano do Sul, fizeram um trabalho regenerativo, enquanto os demais foram a campo, sob orientação do técnico Tarcísio Pugliese.

O comandante quinzista analisou sem rodeios a derrota por 2 a 1 para o São Caetano. Após abrir o placar com Diego Jussani, aos 40 minutos da etapa final, o Nhô Quim sofreu a virada, com gols aos 42 e 45 minutos, o que causou o segundo revés no estadual e a permanência na 15ª colocação, com um ponto somado. O treinador lamentou ainda o fato de o Alvinegro ter sofrido dois gols repentinos, como foi anteriormente, no empate em 2 a 2 com o Audax, em Piracicaba.

“É difícil explicar. Tem uma frase que usamos no futebol: ‘quem ganha comemora e quem perde dá desculpa’. Então, não em muito o que falar. Fizemos um primeiro tempo muito bom e um bom segundo tempo. Conseguimos fazer o gol e aí, em três minutos, tomamos dois. Eu posso falar um monte de bobagens para tentar explanar o que ocorreu, mas é difícil entender. Acontecer pela segunda vez seguida é inexplicável”, comentou Pugliese, ainda no ABC.

“Controlamos o jogo perante um adversário que tem um potencial financeiro imenso, que contratou um treinador renomado (Alexandre Gallo), o que já demonstra o propósito no campeonato e gera uma motivação a mais nos atletas”, prosseguiu, antes de ressaltar o que ficou de alento para a sequência do torneio. “O nosso rendimento gera uma confiança de que podemos reverter esta situação”, comentou o técnico, que também falou da campanha do XV.

“É inegável que o desempenho é ruim em termos de pontuação. Não fizemos partidas fantásticas contra Portuguesa e Audax, porém fomos muito bem frente ao São Caetano. O que nos preocupa são os gols sofridos no final, quando deveríamos saber controlar o resultado. Ficamos muito chateados da forma como as coisas aconteceram. O jeito que perdemos em São Caetano do Sul foi uma pancada grande”, externou o treinador, que acredita na reabilitação.

Publicidade

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.